Como sei se sou junior, pleno ou sênior?

Por vezes ouvi profissionais questionando:

“Como sei se sou junior, pleno ou sênior?”

Definitivamente essa resposta é relativa. Porém, uma parâmetro que gosto de utilizar para isso é a maturidade do profissional em compreender e colaborar com os problemas impostos. Ou seja, sua capacidade de “tocar” sozinho seu trabalho. Logo prefiro fazer essa pergunta da segunte maneira:

“Qual meu nível de maturidade?” ou ainda ”Qual meu nível de senioridade?”

Li um ótimo post do Elemar Jr falando sobre tipos de liderança, onde esse assunto é abordado pelo outro lado da equipe: O do líder.

Falando sobre equipes auto-gerenciaveis e sobre gestão de acordo com a “maturidade” dos profissonais liderados, ele define quatro níveis de liderança:

  • Direção: Onde um profissional novato precisa ser direcionado e controlado, já que sua falta de domínio ou conhecimento, exige mais cautela. Tornando o profissional mais eficiente e fazendo-o evoluir com mais rapidez.
  • Orientação: Conforme o profissional se sente mais avontade com seus conhecimentos, começa a contribuir com as soluções, mas deve sempre “ouvir” seu líder que emprega uma aprovação ou avaliação de suas opiniões a fim de direcioná-lo a maior maturidade.
  • Delegação: O líder precisa apenas dar condições ao profissional para que um bom trabalho seja feito. Aqui chegamos a senioridade.
  • Apoio: Nesse nível o líder não é mais o indicador de soluções e sim “um conselheiro”. O profissional deve ser ouvido e aconselhado sobre caminhos a seguir, porém, ainda não é um profissional que pode ser deixado sozinho.

Com esses aspectos definidos, proponho uma reflexão:

Como você quer ou precisa ser liderado para fazer um bom trabalho?

A resposta deve te ajudar a encontrar seu nível de maturidade. A dizer quão sênior você pode ser considerado.

É comum ver profissionais reclamando da falta de reconhecimento por parte das empresas, muitas vezes – mas não todas – de maneira prematura, equivocada. Ou ainda profissionais “supervalorizados” por seu tempo de experiência e não por maturidade (não, eles não caminham junt0s). Creio que se conhecer é o primeiro passo para evitar esses dois cenários, que a médio prazo são muito prejudiciais a uma carreira.

Faça uma análise de sua carreira e de sua postura de trabalho e evite cair nessa auto-confiança exagerada que leva muitos a estagnar profissionalmente. E aproveite para ler o post do Elemar (http://elemarjr.net/2011/09/25/nada-to-desigual-quanto-tratar-pessoas-diferentes-de-forma-igual/) e avaliar se sua liderança está de acordo com suas expectativas e capacidades.

Dica: Seja realista com suas avaliações pessoais 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: