Archive for the ‘Opinião’ Category

Sobre estudos e provas de conceito

16/04/2012

A poucos meses tive a oportunidade de participar de uma fase quase mítica em um projeto:

O pré-game

Pode ser chamado de análise técnica, modelagem de ambiente entre outras coisas.
O importante é que nessa fase serão feitos estudos e provas de conceito (POC’s) afim de se definir uma base arquitetural para o projeto.
Bacana não? Quantas vezes você dispôs desse tempo?

A questão aqui é:

Como aproveitar bem esse tempo?

Bem, como esse foi meu primeiro posso apenas te falar com base nos frutos que estou colhendo (alguns amargos).
Vai que um prégame caía no seu colo!

Então:

  • Não desperdisse esse tempo!
    Foque em soluções para reduzir o impacto. Teste opções para seus maiores problemas. Levante prós e contras tentando ser imparcial. Dívida sempre os resultados com seu time.
  • Alinhe o conhecimento!
    Projetos grandes tem equipes grandes, logo você encontrará estilos distintos em seu projeto. Faça mini-palestras com os resultados anteriores colocando a equipe para decidir como utilizar uma solução/recurso.
  • Estude mesmo!
    Ao apresentar uma opção você tem que estar preparado para as perguntas. E se for aceita sua opção deve estar apto  defende-lá no futuro quando questionado sobre como escolha.
  • Não se apegue!
    Mudanças podem levar a um refactor que mude os motivos de usar sua opção. Leve em conta sempre os saúde da equipe e do projeto. Esse é seu objetivo.

Acha muita responsabilidade para um pre-game?
Pois bem. Seja ousado, talvez essa seja sua única chance!

Anúncios

Como sei se sou junior, pleno ou sênior?

15/10/2011

Por vezes ouvi profissionais questionando:

“Como sei se sou junior, pleno ou sênior?”

Definitivamente essa resposta é relativa. Porém, uma parâmetro que gosto de utilizar para isso é a maturidade do profissional em compreender e colaborar com os problemas impostos. Ou seja, sua capacidade de “tocar” sozinho seu trabalho. Logo prefiro fazer essa pergunta da segunte maneira:

“Qual meu nível de maturidade?” ou ainda ”Qual meu nível de senioridade?”

Li um ótimo post do Elemar Jr falando sobre tipos de liderança, onde esse assunto é abordado pelo outro lado da equipe: O do líder.

Falando sobre equipes auto-gerenciaveis e sobre gestão de acordo com a “maturidade” dos profissonais liderados, ele define quatro níveis de liderança:

  • Direção: Onde um profissional novato precisa ser direcionado e controlado, já que sua falta de domínio ou conhecimento, exige mais cautela. Tornando o profissional mais eficiente e fazendo-o evoluir com mais rapidez.
  • Orientação: Conforme o profissional se sente mais avontade com seus conhecimentos, começa a contribuir com as soluções, mas deve sempre “ouvir” seu líder que emprega uma aprovação ou avaliação de suas opiniões a fim de direcioná-lo a maior maturidade.
  • Delegação: O líder precisa apenas dar condições ao profissional para que um bom trabalho seja feito. Aqui chegamos a senioridade.
  • Apoio: Nesse nível o líder não é mais o indicador de soluções e sim “um conselheiro”. O profissional deve ser ouvido e aconselhado sobre caminhos a seguir, porém, ainda não é um profissional que pode ser deixado sozinho.

Com esses aspectos definidos, proponho uma reflexão:

Como você quer ou precisa ser liderado para fazer um bom trabalho?

A resposta deve te ajudar a encontrar seu nível de maturidade. A dizer quão sênior você pode ser considerado.

É comum ver profissionais reclamando da falta de reconhecimento por parte das empresas, muitas vezes – mas não todas – de maneira prematura, equivocada. Ou ainda profissionais “supervalorizados” por seu tempo de experiência e não por maturidade (não, eles não caminham junt0s). Creio que se conhecer é o primeiro passo para evitar esses dois cenários, que a médio prazo são muito prejudiciais a uma carreira.

Faça uma análise de sua carreira e de sua postura de trabalho e evite cair nessa auto-confiança exagerada que leva muitos a estagnar profissionalmente. E aproveite para ler o post do Elemar (http://elemarjr.net/2011/09/25/nada-to-desigual-quanto-tratar-pessoas-diferentes-de-forma-igual/) e avaliar se sua liderança está de acordo com suas expectativas e capacidades.

Dica: Seja realista com suas avaliações pessoais 😉